segunda-feira, 26 de setembro de 2011

O poder de Kristof


Já sabia que Nicholas Kristof era um jornalista especial. Mas hoje fiquei ainda mais impressionada com o poder que o seu nome tem - e como esse poder está a ser usado para combater a fome na Somália.
Kristof, distinguido com o Pulitzer pela sua cobertura dos acontecimentos em Tiananmen, actualmente já quase só escreve opinião. A sua coluna no New York Times é uma das mais influentes do mundo talvez porque ele nunca deixou de fazer o trabalho árduo do repórter, que suja os sapatos, fala com os protagonistas das histórias, pesquisa, investiga e incomoda quem for necessário para conseguir apresentar aos leitores, em menos de 800 palavras, a versão mais aproximada da verdade dos factos.
Kristof tem escrito, nos últimos dias, textos pungentes a partir da fronteira do Quénia com a Somália:

WHAT’S most heartbreaking about starving children isn’t the patches of hair that fall out, the mottled skin and painful sores, the bones poking through taut skin. No, it’s the emptiness in their faces.
These children are conscious and their eyes follow you — but lethargically, devoid of expression, without tears or screams or even frowns. A starving child shuts off emotions, directing every calorie to keep vital organs functioning.


A fome alastra no território, o mundo continua a desviar o olhar. Nada de novo? Acontece que um nova-iorquino, ao ler esta coluna do Times, decidiu estender a mão ao povo somali, partilhando um pouco do muito que tem.
Kristof anunciou a boa nova no twitter e no facebook:

«Um homem diz que igualará todos os donativos que os meus leitores fizerem para ajudar as vítimas de fome na Somália. E eu digo: vamos levá-lo à bancarrota!»

O homem chama-se Whitney Tilson e, em menos de 24 horas, já teve de desembolsar 200 mil dólares para cumprir a sua promessa. Ele mantém que irá dobrar todos os donativos particulares até 100 dólares. Por isso, se algum dos leitores do Blogkiosk quiser colaborar (!), basta escolher uma organização que tenha missões de ajuda às vítimas da fome na Somália (e pode socorrer-se desta lista do Washington Post, por exemplo), e enviar uma cópia do comprovativo desse donativo para a Leila, assistente do Sr. Tilson, usando o e-mail leilajt2@gmail.com.

Há dias em que, como vêem, o jornalismo tem efeitos práticos e imediatos. Eu adoro esses dias.

2 comentários:

Alex disse...

Patrícia,

Não a conheço ma sou leitora assídua do seu blog, de que gosto particularmente.
Hoje, este seu texto tocou-me de forma profunda: vou fazer um donativo imediatamente e copiar o seu post ipsis verbis para o colocar no meu blog e assim tentar que mais pessoas se juntem e façam alguma coisa. Espero que não se importe.
Acredito que cada vez mais o poder para ajudar nesta situações pode estar muito mais na mãos dos seres humanos que nas dos governos.

Um beijo e obrigada,
Alex Quadros

Patrícia Fonseca disse...

Claro que não me importo, muito pelo contrário, agradeço muito! Cada vez concordo mais consigo, somos nós, enquanto sociedade, enquanto indíviduos, que temos o poder de fazer a diferença. Obrigada (e volte sempre!), Patrícia