quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Carpe diem

«A vida é uma viagem curta.» David Freeman escreveu-o no início deste livro, 100 coisas a fazer antes de morrer, que se tornou num clássico entre aqueles que gostam de viajar, conhecer outras culturas... e viver experiências fortes. Freeman morreu hoje, aos 47 anos, na sequência de um acidente estúpido. Estava em casa, em Los Angeles, caiu e bateu com a cabeça.
Como escreve Alexander Chancellor no Guardian, apesar da maioria das experiências recomendadas por Freeman serem demasiado loucas para seguir à letra, cumpriram a missão de nos recordar que a vida é demasiado curta e que existem coisas melhores para fazer do que ficar enterrado no sofá a ver televisão. Que devemos viver cada dia das nossas vidas como se fosse o último. Carpe diem.

1 comentário:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Patrícia:
Sempre segui essa máxima e até agora não me arrependi.
Quanto ao livro, adorei!
bjs